Você está aqui: Página Inicial / Peelings

PEELINGS

 
O Brasil é um dos campeões em tratamentos estéticos, e o procedimento mais procurado é o chamado peeling. Os peelings são procedimentos capazes de corrigir marcas, manchas, muitas das alterações do envelhecimento e melhorar a aparência e a qualidade da pele. Ele destrói partes da pele de maneira controlada, que logo é regenerada e recebe um aspecto novo através de células que permanecem em determinados pontos da pele e com capacidade de reprodução. O procedimento do peeling é muito comum e quase não oferece risco. As únicas recomendações são em relação a evitar o sol e procurar clínicas e profissionais especializados. Ele é indicado no tratamento de diversas dermatoses, fotoenvelhecimento, rugas finas, hiperpigmentação pós-inflamatória, acnes em atividade e suas sequelas, cicatrizes e estrias.
Existem vários tipos de peeling, vários métodos para cada tipo de pele e para cada tipo de lesão a ser removido. Existem os peelings químicos, peelings físicos, peelings vegetais e peelings enzimáticos.
Peeling Químico – consiste na aplicação de um ou mais agentes corrosivos resultando na destruição controlada de partes da epiderme e/ou derme, seguida da regeneração dos tecidos epidérmicos e dérmicos. Essas técnicas de aplicação produzem uma lesão programada e controlada com coagulação vascular instantânea, resultando no rejuvenescimento da pele com redução ou desaparecimento das alterações, discromias, rugas e algumas cicatrizes superficiais. Ativos muito utilizados neste tipo de Peeling são os Alfa-Hidroxi-Ácidos (AHA’s), grupo de substâncias naturais encontradas em alguns alimentos que constituem uma família de ácidos orgânicos.
Dentre os AHA’s os mais utilizados são:
 
  • Glycolic Acid – Tem absorção em diferentes camadas da pele e age como um solvente para a matriz interconeócita reduzindo a queratinização excessiva, sendo utilizado na renovação da epiderme e redução das linhas faciais. É também um agente clareador, que aumenta a hidratação e elasticidade da pele, devido a estimular a produção de colágeno, elastina e mucopolissacarídeos nas camadas profundas da pele;
  • Lactic Acid – Tem propriedades emolientes e age inibindo a atividade da tirosinase e diminuindo a formação de melanina. Estimula a renovação celular de forma bastante eficaz;
  • Mandelic Acid – Garante rejuvenescimento, afinando linhas finas e marcas de expressão, trata a acne e melhora a textura da pele. Utilizado no tratamento de hiperpigmentações, pois atua na inibição da síntese de melanina e na melanina já depositada na epiderme, promovendo uma eficaz remoção dos pigmentos hipercrômicos.
Os AHAS se diferenciam dos demais ácidos por possuírem moléculas de menor tamanho e conseguirem maior poder de penetração na pele. Quando são aplicados topicamente, produzem efeitos específicos sobre o estrato córneo, a epiderme, a papila dérmica e sobre os folículos pilossebáceos.
Além dos AHA’s outros ácidos também são utilizados como, por exemplo:
 
  • Retinoic Acid – tem ótimas propriedades que ajudam na melhora da qualidade de colágeno, suaviza as rugas e linhas de expressão, controla a oleosidade, clareia as manchas da pele, aumenta a firmeza e ainda melhora a textura da pele;
  • Salicylic Acid – Muito usado nos tratamentos para acne, é um ativo eficaz para a diminuição da produção de sebo da pele. Além disso, tem ação de proteção contra as bactérias, promove a esfoliação, desobstrui os poros e afina a pele. Esse tipo de ácido não elimina definitivamente as espinhas já existentes, mas atua impedindo que novas apareçam na pele ao permitir a saída do excesso de oleosidade e promover a diminuição do tamanho dos poros;
  • Azelaic Acid – garante uma renovação profunda das células através da escamação. Ele garante ótimos resultados, principalmente para aliviar cicatrizes de acne da pele;
  • Kojic Acid – Tem ação quelante de íons cobre, o que inibe a tirosinase, bem como inibe a conversão da o-quinonas, norepinefrina e dopamina para a forma correspondente de melanina, resultando na inibição da melanogênese. Também possui atividade quelante do ferro o que confere ação antirrugas e previne o fotoenvelhecimento cutâneo. Poderoso clareador de manchas.
Peeling Mecânico ou Físico – consiste em um ato mecânico (lixa ou cristais) usado para ‘lixar’ as células das camadas superficiais e até médias da pele. Exemplos de Peeling Físico – Cristal (cristais de óxido de alumínio) ou realizados por Dermoabrasão ou Laser.
Peeling Biológico ou Enzimático – consiste na redução da camada de queratina da pele por enzimas biológicas, reduzindo a espessura, melhorando a textura e promovendo a renovação celular da pele. Exemplos de Peeling Enzimático – Papaína (enzima do mamão), Bromelina (enzima do abacaxi), Enzima resultante da fermentação de lactobacilos, Enzima da Romã ou Abóbora.
Os peelings químicos podem ser classificados de acordo com o nível de profundidade em:
 
  • Muito superficial: também conhecida como esfoliação, essa técnica atinge apenas a camada córnea da epiderme, fazendo uma abrasão suave. Não apresenta riscos de complicações ao paciente. Pode ser utilizado em todos os tipos de pele e em qualquer área do corpo. Não causa nenhum sinal após sua realização. Normalmente é feita previamente a outros tratamentos estéticos, como a limpeza de pele. É realizada por meio de agentes esfoliativos naturais como sementes de frutas ou sintéticos como as microesferas de polietileno.
  • Superficial: atingem camadas mais profundas da epiderme, causando mais sinais, conforme a profundidade aumenta. Causam discreta ardência e vermelhidão da pele que dura de dois a cinco dias. Os peelings superficiais, em geral, são realizados com intervalos que variam de uma semana a 15 dias, em uma série de 5 a 6 peelings. São indicados para rugas muito suaves, manchas superficiais da pele, acne leve e fotoenvelhecimento leve.
  • Médio: age mais profundamente, junto à derme papilar e retira lesões mais profundas, clareando manchas e alterações de superfície da pele, como rugas, algumas cicatrizes de acne e as ceratoses, provocam descamação mais espessa e escura, necessitando de sete a quinze dias para retorno à vida normal. Causam a formação de uma crosta enegrecida que se desprende em três a sete dias.
  • Profundo: são peelings extremamente agressivos, que provocam descamação total da derme papilar e exposição da derme reticular. É reservado para casos severos de cicatrizes de acne, marcas de expressão profundas, graves discromias infiltradas na derme e degeneração das fibras de colágeno e elastina. Necessitam de um período maior de recuperação, em que o paciente deve se reservar da exposição solar e adotar cuidados adicionais de proteção como o uso de óculos escuros e chapéu durante o tempo de recuperação. Os peelings profundos provocam uma descamação total da epiderme e consequente reepitelização e formação de neocolágeno. O tempo médio para retorno às atividades normais é cerca de 21 dias.